quarta-feira, 26 de agosto de 2009

TRÊS POEMAS INÉDITOS DE LUIS TURIBA

Oferto aos leitores do blog três poemas inéditos que falam de sensações de um coração. Espero que toque o de vocês:
 
Algum sentimento

 

Há em mim

um sentimento que me domina

embora não me convença

de maneira assim tão ínfima

 

Não é de rudeza branda

ou gentileza insana

tampouco o assino

embaixo no meio ou em cima

 

um sentido sem sentido

um tino sem destino

um coice sem mula

um farol sem neblina

 

uma sensação atemporal

como se a vida me segredasse:

- Stop! É hora de rever o que te move

 

Acho que conheci a morte

e sem medo da velha dama

disse-lhe sem cerimônia:

 

- Como vai, minha senhora,

pode entrar, sentar, esperar.

Por mim, vai demorar.

 

 

 

CORAÇÃO PINTOR  

 

Que cor tem meu coração?

Quando paixão é vermelho

Quando razão é listrado

Quando sereno é azul

Quando ama quase cego

Se no samba é verde-rosa

Na torcida é rubro-negro

Que cor tem meu coração?

 

 

Que cor tem meu coração?

Se estressado é sem cor

Fica encardido sem graça

Não sorri quase não fala

Fica opaco e sem espaço

Sem pulsação sem compasso

Fica pálido e quase pára

Que cor tem meu coração?

 

Que cor tem meu coração?

Quando alegre é arco-íris

Se macho é quase roxo

Sexta-feira veste branco

Para saudar Oxalá

Na Bahia é multicor

Só depende do orixá

Que cor tem meu coração?

 

Que cor tem meu coração

No Rio é o sol de Ipanema

Em Brasília é o mar no céu

Em Goiás pequi com arroz

No Recife é o som do frevo

Em São Paulo é cinza breu

Sempre acorda mais cedo  

Que cor tem meu coração?

 

 

Na verdade é transparente

Como tintas de alimentos

Que rolam em suas artérias

Mas tudo nele leva cor

Pois é pintor das matérias

Que materializam o amor

Que cor tem meu coração?

 

 
Coração cuiqueiro

 "tenho duas cuícas

Florença e Nikita

enquanto Florença aflora

Nikita quica

e assim floreiam o mundo

desafinadas, as cuícas" 

 

 

toco cuíca pra ninar meu coração

faço micros sinfonias

entre batimentos cardíacos

 

core adora essas manias

roncos sinos sons pulsares

sambas cardiovasculares

 

sambas novos veteranos

sambas coronarianos

 

alguns tristes outros apenas

sambas de pontes safenas

 

feitos com amor e arte

sambas de um pós-enfarte

 

ah coração sem idade

cheio de trepidação

 

ah coração que saudade

dos ares da respiração

 

 

 

 

 

 

 

6 comentários:

Emiliano disse...

Maravilha !! O Que dizer ?

Mestre poeta !!!


Vou ler de novo . . .

Abraço

Emiliano

Anônimo disse...

Estar em Buenos Aires e receber estas perolas é um privilégio!
Um beijo carinhoso do Amigo,

Fabricio Pedroza

Mamcasz disse...

Meu velho compadre Zé da Cuica
Acompanho sempre estas hortas, barcos e criativos comunitários.
Desde o Pero Vaz porque, afinal, o escrito é cíclico, mesmo que, depois, fique o não dito por dito ainda bem que não me chamo Beneplácito (é, sei que não deu rima).
Mas tudo isto para usar a potencialidade deste vosso brógui para incluir meu novo brequi:
Os Fantasmas da Rádio Nacional.
Acesso em:
http://mamcasz.wordpress.com
Abss gerais, amplos e irrestritos
Mamcasz

Anônimo disse...

Adorei seus poemas cardíacos, lindos mesmo. Me lembrei do meu amado Noel Rosa, que foi estudante de cardiologia e escreveu o samba Coração, que diz assim:

Coração
Grande órgão propulsor
Distribuidor do sangue
Venoso e arterial
Coração
Tu não és sentimental
Mas entretanto dizem que és o forte da paixão
Coração
Não estás do lado esquerdo
nem tão pouco do direito
Ficas no centro do peito
Eis a verdade
Tu és pro bem estar do nosso sangue
O que a casa de correção
É para o bem da humanidade
Coração
Do sambista brasileiro
Quando enche o pulmão
Faz a batida do pandeiro
E eu afirmo
Sem nenhuma pretensão
Que o amor faz dor no crânio
Mas não ataca o coração.

E a gente continua na torcida pelo samba de Brasilia.

Olha, acho que a família vai toda ver o Renatinho na barca. Nos encontranmos lá. Beijoquitas da Yara Selva.

http://blog.clickgratis.com.br/anamarialopes disse...

Turiba,
sempre você emociona seus leitores - e fãs - com sua poesia. Pura música nas artérias. Abreijos, Ana Maria Lopes

http://blog.clickgratis.com.br/anamarialopes

Compras online disse...

Algum sentimento


- Como vai, minha senhora,

pode entrar, sentar, esperar.

Por mim, vai demorar.

porra turiba!!!!!!!

essa foi a melhor coisa que li esse ano!!

risos!!!!