quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

ORAÇÃO PARA NOSSA SENHORA DA BALA PERDIDA




Mãe,

Afaste de mim esta bala

Este dardo inflamável

Esta seta diuturna

Este terror sem rumo

Este projétil alado e raso

Pois já que elas não cessam

Que pelo menos nos errem

 

Rogai por nós os passantes

Os transeuntes os pedestres

Os motoristas e as crianças

E principalmente as mães

 

Não nos faça alvos fáceis

Desta chuva de petardo

Não nos atinja o corpo

Nem a alma nem os prantos

 

Que veloz, não me alcance

Que sua força não me curve

Que seu fogo não me queime

Que o acaso não me derrube

Eu que diariamente passo

Por favelas becos vielas

Por túneis curvas células

Eu que faço o bom combate

 

Protegei as nossas vísceras

Das emboscadas bandidas

Dos acertos entre quadrilhas

Do fogo amigo ou polícia

 

Só te peço oh mãe amiga

Santa do cotidiano

Poupe-nos o banho de sangue

De passagem tão insana


Um comentário:

Lisa Alves disse...

Muito muito bom, gosto quando a poesia toma forma da vida real!


"Afaste de mim esta bala

Este dardo inflamável

Esta seta diuturna

Este terror sem rumo

Este projétil alado e raso

Pois já que elas não cessam

Que pelo menos nos errem"