sexta-feira, 15 de maio de 2009

SUBMARINO NUCLEAR MERGULHA NA POÉTICA BRASILEIRA

Site de Antônio Miranda é lido em pontos secretos dos oceanos do planeta

O poeta e professor da UnB Antônio Miranda, presidente da Biblioteca de Brasília e inventor da Bienal da Poesia, tem um dos sites mais ativos e completos de poesia contemporânea do Brasil e da América Latina.

São quase dois (2) mil poetas ali apresentados em cinco (5) mil páginas com sete (7) mil fotografias e ilustrações. Tem até um link para a Poesia Visual Moderna. Ou seja: o homem está editando uma verdadeira Enciclopédia Virtual. Quem gosta de poesia não pode deixar de visitá-lo; www.antoniomiranda.com.br.

Pois então: este site é visitado anualmente por um milhão e trezentas mil pessoas de todos os cantos do planeta.

Ontem (14.05), a convite de Miranda, acompanhei a pulsação de seus leitores pelo mundo afora. Para isso, ele usa uma ferramenta chamada “WHO´S.AMUNG.US da gogleo que mostra que leitores estão lendo o que e de onde são esses leitores.
Até os minutos de visita são contados por este ferramenta. Um mapa-mundi fica pulsando e mostrando tudo.
Teve momentos ontem em que o site estava sendo visitado por 42 pessoas ao mesmo temp. Gente de Maputo, de Tóquio, de Caracas, do interior do Brasil e assim por diante.

O mais interessante, porém, é que diariamente esta ferramenta mostra que Miranda tem um leitor desconhecido (unknown) cuja pulsação no mapa vem sempre de um ponto sombrio do oceano.

Ontem, este unknown estava na costa africana. Mas anteontem, estava no Mar Morto e outro dia no Oceano Pacífico.

Moral da história: alguém, quem um comandante de um submarino nuclear, provavelmente dos EUA, entra diariamente via satélite no site do Miranda para ler poetas brasileiros.

Ontem entrou nas páginas de Luiz Coronel, depois foi para Artur Azevedo, e em seguida visitou José Paulo Paes.

CALÇADAS POÉTICAS

Um grupo de poetas reunidos na Biblioteca Nacional de Brasília irá levar ao governador Arruda proposta para transformar algumas calçadas da avenida W3 Sul em “Calcadões Poéticos.”
Poesias serão escritas nessas calçadas por pedras portuguesas, a exemplo das Calçadas Musicais do bairro Vila Isabel, no Rio de Janeiro, onde estão algumas músicas de Noel.

3 comentários:

Edna Freitass - Assessoria Milenar disse...

poeta andarilho,
leio e re-leio seu blog... e penso: este blog tem a cara do turiba!!!!!!!!!!
inté, poeta.
sempre,
edna freitass.

Alessandra Roscoe disse...

Delícia de espaço virtual! Você, como sempre, reinventando a métrica, todo prosa a versear, a encantar e a nos fazer trilhar caminhos poéticos... Estou sempre por aqui também e já encampei a luta dos "Loucos de Pedra" pelas calçadas poéticas. Depois veja lá no http://contoscantoseencantos.blogspot.com
as postagens sobre a campnaha encabeçada pelo Gougon e pelos cirandeiros dos mosaicos poéticos.
Grande beijo pra você!

luis turiba disse...

Turiba,

ótima a matéria do submarino, que eu repliquei em sua página, agora já com o seu poema...

http://www.antoniomiranda.com.br/poesia_visual/luiz_turiba.html