quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

RECITAL PARA ARIOSTO TEIXEIRA FOI EMOCIONANTE

 

 
"O POEMA É MINHA VITÓRIA SOBRE O NADA", Ariosto Teixeira
 
Luis Turiba

 

Foi um recital como jamais se viu em Brasília.

 

Por quase duas horas mais de 200 pessoas lotaram o Café Martinica, na Asa Norte, Brasília, na noite da última terça-feira (26/01), para ouvir no mais absoluto silêncio e com muita emoção, os versos fortes e cortantes do jornalista e poeta Ariosto Teixeira, falecido no último sábado aos 56 anos.

 

O recital foi uma homenagem do grupo "Poesia na Lua" e de amigos ao poeta que criou a frase: "o poema é minha vitória sobre o nada."

Foram lidos poemas do seu único livro publicado, "Poemas do front civil", publicado em 2008 pela 7 Letras, do Rio de Janeiro.

 

Poemas cortantes, elegantes e de linguagem desafiadora, uma conversa permanente de Ariosto com seu estado de saúde. Por mais de 10 anos ele lutou contra uma hepatite CD e chegou fazer transplante do fígado.
 
 O momento mais emocionante do recital foi quando a viúva de Ariosto, Solange; e seu filho mais novo, João Manuel, subiram ao palco e leram dois poemas inéditos.

 

"Meu pai não tinha medo da doença e sempre se esforçou muito para continuar vivendo. Ele fazia muito esforço para vim aqui recitar poemas com vocês. Ele sempre chegava a ensaiar em casa para dizer seus poemas da melhor maneira possível", revelou João Manuel.

Um comentário:

Blog da Regbit disse...

Hoje é domingo ainda releio , para guardar a minha ausencia presença nesta homenagem carinhosa e fantastica.